Páginas

domingo, 26 de abril de 2015

Quanto custa ser honesto?

Quanto custa ser honesto?
Quanto custa a honestidade?
Quanto vale a sua honestidade?
Talvez o que foi roubado da Petrobrás, sem contar outras fontes, como o Banco de Fomento, Bancos oficiais, Fundos já sem fundos, Fundos Partidários (excrescência), mensalões e mensalinhos, estádios de futebol, desvios incontáveis e dos mais variados, assessorias "mandrakes", arrochos travestidos de ajustes, mais aumentos de gastos imorais nos poderes, entre outras ignomínias, e tome mazelas ...
Com grana e a suprema impunidade, qualquer bandido se diz e se faz passar por honesto e, no mais, a vaca vai para o brejo ...
O País se tornou refém de vagabundos e ladrões da pior espécie - como se vagabundos e ladrões, mais os cafajestes, tivessem outra espécie - , espécie que destrói tudo a sua volta, espécie que já deu causa e motivo para o seu extermínio, basta ler a "Carta", ao invés de se ficar com ilações e prosopopeias ... 
Mas, a sua honestidade, quanto vale?
Nos idos, como dizem aqueles que gostam de escrever, o homem desenvolveu as suas habilidades e inteligência, para sobreviver em um mundo recheado de bestas feras.
À medida em que tais habilidades foram desenvolvidas, com o estabelecimento dos primeiros agrupamentos, ou seja, das primeiras "sociedades", e na medida em que a comunicação também seguiu o seu crescimento, surgiram os primeiros sintomas que levaram à derrocada do homem, como inveja, mentira, corrupção, cafajestice, roubo, assassinato entre tantas outras conhecidas.
A história é rica nesse sentido, como, também, registra período - exceção, obviamente - de respeito e dignidade entre os homens, como o foi no período do grande império Tebano.
A  iniquidade, como todos sabem, acabou por vencer, saindo vitoriosa contra todos os princípios e esta praga, hoje, disseminada em todo o mundo, encontra, aqui, outra variação, tanto ou mais nefasta, qual seja, a Praga Tupiniquim, que corrói o País, suas instituições, seus princípios e valores.
Diante de sua disseminação e sem sinais de cura, buscam-se remédios de mediana posologia, como escorchar aqueles ainda não contaminados, promovendo-se "mutirões" voltados para acobertamento da doença, salvo aqueles protagonizados por alguns abnegados, ainda imunes aos efeitos e sintomas da epidemia.
Até agora ainda não se descobriu eficaz pesticida que elimine esta praga, mas há de ser encontrado, eliminando-a, de vez, da face da terra e do convívio entre os homens. O problema reside na suprema impunidade, que pode botar por terra, todo o esforço daqueles não contaminados.
Um recado para os Senhores da cafajestice:
You are not special. You are not a beautiful or unique snowflake. You are the same decaying organic matter as everything else. (anotei esta frase, mas não encontro a autoria, se alguém souber, por favor informe, para que se dê nome aos bois).
Quanto a honestidade, o seu valor, o seu custo, está na consciência de cada um.

quarta-feira, 8 de abril de 2015

Canção do Lava Jato ...

Repassando como recebido:

Paródia à música Cielito lindo:

Entraram en  mi casa,
Cagaram en mi cama,
Mijaram em mi aguardiente.
E como se non bastasse,
botaram na bunda da gente.
Ai, ai, ai, ai,
como esta doendo!
Ayuda hermano, ayuda hermano,
no estou más aguentando!